quinta-feira, 31 de maio de 2012

O Alentejo agrícola – um pouco de historia


«Nas vertentes pedregosas do Mediterrâneo, tanto dos lados do Magreb como, sobretudo, no Alentejo queimado pela estiagem, foi sempre o homem, o camponês, o único capaz de suster as encostas contra as enxurradas, de fertilizar as hortas, de apurar as sementes e a seiva do futuro. Este homem, este camponês, conhece como ninguém a cor da terra, o gosto das águas, guarda o espaço da memória, os gestos sábios da enxertia e da diversidade. A História do camponês alentejano é também a história do povoamento e do despovoamento, a história das terras, searas e montados, a história do que nos resta para comer e viver.»



Retirado do livro “O Alentejo agrícola – um pouco de historia” de Cláudio Torres, arqueólogo, que gosta de referir: «fui para Mértola à procura de árabes e encontrei camponeses».

Sem comentários: